Fotografo: Mídia News
...
Sem Legenda

A Polícia Federal apreendeu, na manhã desta quinta-feira (25), documentos referentes ao plano de manejo de duas fazendas de Mato Grosso que estavam na sede da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema).

 Conforme apurou a reportagem, os documentos são referentes a duas propriedades rurais em Colniza e Aripuanã, na Amazônia de Mato Grosso.

 Nesta manhã, a PF deflagrou a Operação Arquimedes em oito estados com objetivo de desarticular um esquema de corrupção responsável por extração ilegal de madeira na Floresta Amazônica. Em Mato Grosso foi cumprido um mandado de busca e apreensão na Sema.

 Em Mato Grosso, a Sema emitiu nota dizendo que cedeu à PF os documentos referentes a inserção de créditos florestais fictícios nos sistemas de comercialização e transporte de produtos florestais.

 Ainda segundo a corporação, no próximo mês o órgão fara uma um curso de capacitação para compreender melhor o funcionamento dos sistemas da Sema envolvidos na aprovação de projetos florestais e autorizações de exploração florestal ou desmatamento (Simlam, Simcar e Sisflora).

 “O objetivo é assegurar que o órgão de investigação tenha acesso às informações com mais rapidez e precisão”, consta em nota.

 A Operação 

A Justiça de Manaus (AM) expediu 23 mandados de prisão preventiva, seis de prisão temporária, 109 mandados de busca e apreensão. 

Os mandados foram cumpridos nos estados de Mato Grosso e no Acre, Amazonas, Minas Gerais, Paraná, Rondônia, Roraima, São Paulo e no Distrito Federal, além da autorização de bloqueio de R$ 50 milhões nos CNPJs das empresas investigadas e outras 18 medidas cautelares.  

A PF atua em duas principais frentes de investigação criminal, por meio de dois inquéritos policiais: a primeira, sobre a extração, exploração e comércio ilegais de madeira; e, a segunda, sobre a corrupção entre servidores de órgão ambiental estadual, engenheiros florestais, detentores de planos de manejo e proprietários de empresas madeireiras.

 A operação já apreendeu em dezembro de 2017 mais de 400 contêineres no porto em Manaus (AM), contendo aproximadamente 8.000 m³ de madeira em tora com documentação irregular, que pertenciam a mais de 60 empresas de madeira.

 A madeira tinha como destino o mercado doméstico e internacional, sendo 140 contêineres destinados à exportação para países da Europa, Ásia e América do Norte.

 Confira nota da Sema na íntegra: 

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente confirma que recebeu agentes da Policia Federal na manhã desta quinta-feira (25) para busca e apreensão de documentos no âmbito da operação Arquimedes. 

A Sema está colaborando com a operação e todas as demandas foram prontamente atendidas para que os investigadores possam apurar as suspeitas de inserção de créditos florestais fictícios nos sistemas de comercialização e transporte de produtos florestais. Os trabalhos de investigação apuram fatos ocorridos antes da atual gestão, iniciada em janeiro de 2019. 

 Para fortalecer o trabalho de investigação e repressão das ilegalidades, agentes da Polícia Federal designados pela superintendência do órgão em Mato Grosso irão participar, no próximo mês, de um curso de capacitação para compreender melhor o funcionamento dos sistemas da Sema envolvidos na aprovação de projetos florestais e autorizações de exploração florestal ou desmatamento (Simlam, Simcar e Sisflora). O objetivo é assegurar que o órgão de investigação tenha acesso às informações com mais rapidez e precisão. 

 A Sema reitera que acredita na parceria com os órgãos de investigação e controle, tanto interno quanto externos, aliada ao controle social, para assegurar a legalidade nos serviços prestados pela Secretaria para que tenhamos um meio ambiente harmônico e equilibrado para esta e futuras gerações.